• 22/04/2024

    Saiba o porquê de algumas pessoas terem cáries mesmo cuidando bem dos dentes

    Lesões em estágio inicial são vistas como manchas brancas nos dentes.

    A ciência desvendou um mistério da saúde bucal. Enquanto algumas pessoas não cuidam muito da saúde bucal e não apresentam problemas, outras têm cuidados minuciosos e, mesmo assim desenvolvem cáries nos dentes. Irônico, não é mesmo? Mas o surgimento de cáries vai muito além da falta de higiene. Pesquisadores da Universidade de Zurique descobriram um complexo genético responsável pela formação do esmalte dentário, que facilita o aparecimento das lesões.

    O estudo, realizado por duas equipes do Centro de Medicina Dentária e do Instituto de Ciências da Vida Molecular, concluiu que a formação das cáries não está ligada apenas às bactérias, mas à resistência dos dentes, também. Com a redução da estabilidade do esmalte dos dentes — que possuem algum defeito genético, mesmo com a higiene bucal adequada —, as cáries aparecem. Para Sofia Takeda Uemura (CROSP 29761), membro do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), são vários os fatores que predispõem o indivíduo a um risco maior para o desenvolvimento de cáries. “A instalação da doença só vai ocorrer se houver placa bacteriana, dieta inadequada e ausência de cuidados preventivos periódicos. A utilização de fluoretos nos cremes dentais e nas diferentes formas de aplicação profissional interfere no mecanismo de desmineralização e remineralização do esmalte dental que ocorre constantemente no meio bucal, porém não impede a colonização bacteriana e a produção de ácidos na presença de açúcar”, explica.

    A cárie é uma doença multifatorial, dessa forma, é necessário que haja a presença de placa bacteriana sobre as superfícies dentárias e o consumo descontrolado de açúcar. “Os microrganismos presentes na placa bacteriana estão presentes na flora bucal de todos os indivíduos e encontrarão um ambiente propício na presença de açúcar”, esclarece Sofia. Em relação ao consumo do açúcar, a frequência do consumo é o que importa. Para prevenir as lesões, é preciso escovar os dentes de forma regular, usar fio dental e controlar a quantidade de açúcar ingerida. “A escovação deve ser orientada individualmente por um cirurgião-dentista, pois há particularidades em relação à técnica que somente um profissional pode orientar e da mesma forma ocorre com a  dieta. Assim, cuidar adequadamente dos dentes envolve vários fatores que nem sempre são observados, por isso essas pessoas estão apresentando lesões de cárie”, observa.

    Sofia explica que as lesões de cárie identificadas pelo leigo são as lesões já cavitadas, isto é, em estágios mais avançados, com necessidade de tratamento restaurador ou reabilitador. As lesões em estágio inicial são vistas como manchas brancas, com desmineralização apenas de esmalte, possuindo características muito específicas — sem cavitação, e que podem ser revertidas com tratamento. “Por isso, o controle profissional é importante, para a orientação de cuidados adequados de dieta e higiene e para detecção e tratamento desses estágios iniciais da doença”, salienta Sofia.